segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Mais um alerta

Através de email, chegou-nos um alerta que aqui reproduzimos para informar e discutir. Trata-se de uma eventual manobra para o actual executivo levar avante mais despedimentos.

Antes de mais quero dar-vos os parabéns pela excelente ideia de criar o blog lisboaemalerta e espero que continuem com o bom trabalho.

Eu sou mais uma “recibo verde” da CML e apesar de ter escapado à primeira “onda” de rescisões, está cada vez mais difícil escapar à próxima. Peço desculpa por não me identificar mas, como compreendem, é complicado…

Estou a escrever-vos porque hoje o meu chefe de divisão recebeu, do nosso director municipal (supostamente a pedido do presidente), o seguinte pedido:

Listagem dos contratados/avençados que se encontrem ao serviço, fazendo referência aos seguintes pontos
- Nome


- Idade


- Estado Civil


- Situação profissional do cônjuge


- N.º de dependentes


- Outros pontos que julguem convenientes focar
Só depois surgiam questões que, na minha opinião, são as que realmente interessam: habilitações académicas, descrição das funções que exerce, o que aconteceria se fosse dispensado (a nível de organização do serviço), ano de entrada na CML, entre outros.
Agora pergunto-me, o que esta “invasão” da nossa vida pessoal tem haver com os nossos contratos e até mesmo, se é legal fazerem este tipo de perguntas. O que é que lhes interessa a situação profissional dos cônjuges?Penso que o que se está a passar é uma tentativa de avaliação da situação social da pessoa para depois não serem acusados de despedirem grávidas ou pessoas que são a única fonte de rendimento da família.
...
Resumindo, gostaria de vos pedir para divulgarem esta situação para tentar perceber se estas listagens estão a ser pedidas em todos os serviços, se nós somos obrigados a responder, se é legal ter em conta este tipo de questões na renovação ou rescisão de um contrato e se alguém tem uma ideia brilhante do que devemos fazer.
Se não servir para nada, pelo menos divulga-se o modo de actuação sinuoso da CML.

Obrigada pela atenção dispensada.
Uma "recibo verde"
Pedimos desculpas por não reproduzirmos o texto na integra mas julgamos ser mais conveniente para evitar pistas sobre a identificação da colega.

34 comentários:

Anónimo disse...

Se o DGRH está a fazer este levantamento eu concordo. Há mta malta q não precisa da CML para nada e está-se a marimbar pra isto. Acham q quem tem filhos e mulher/marido anda aqui para comprar roupa de marca e ver passar as horas?
Apoio essa iniciativa de verem as pessoas caso a caso pra evitar despedir grávidas e familias

Recibo Verdinho disse...

No meu serviço (DMC) falou-se nisso mas ainda ninguem pediu nada. Dizem é que se vão reduzir ordenados a toda a gente.

Alerto que só aqui na DMC estão 8 assessores do ex-vereador com contratos de balurdios. Foram dos tais que fugiram do gabinete do vereador para virem para a direcção municipal já depois do Carmona ter sido corrido.

Informaram-me tambem que no Departamento de Auditoria está uma contratada a recibos verdes a quem o Cardoso da Silva decidiu fazer um contrato de provimento. Será que isto quer dizer alguma coisa?

Já agora vou ainda dizer para vcs investigarem que continuam reformados na câmara a ganharem como os outros. Existe uma senhora de sessenta anos no DAS e um senhor que era fiscal de obras no DPI. Mas deve estar mais gente assim.

Continuem com o blog.

Anónimo disse...

Eu sou do quadro e apoio o blog. Axho que devem continuar e dar voz a mais coisas irreais que se passam na CML.
Porque é que se pagam horas extraordinárias e dias de fim de semana a 50 e 100 por cento a quem não as faz?

Porque é que a malta do ex-DAP e do Dep Juridico ganha um suplemento de 30 a 40% de ordenado?

Porque é que o DIA paga subsidios de turno de 15% e 20% a quem trabalha menos horas e desempenha trabalho de bac-ofice?

Acabe com estes tachos sr.dr.António Costa. É isto que destrí a motivação dos funcionários que aqui dão a vida inteira.

Anónimo disse...

Em resposta ao 1.º comentário, acha que na CML ou em qualquer outra instituição o critério para manter as pessoas deve ser se têm filhos ou marido ou se está grávida?
Já pensou que pode acontecer que a pessoa grávida ou um grande pai de família ser precisamente os que se estão a "marimbar" como diz.

A questão inerente é que as pessoas deviam ser avaliadas pelas suas funções e não pela sua
situação pessoal, penso que é isso que o post se refere e discordo fortemente com a manobra.

Continuem com a vossa luta!

Anónimo disse...

Estou a recibos e continuo a trabalhar. Sinceramente quando me preguntam como vão as coisas na câmara, eu respondo que em fins de Janeiro logo verei. Isto porque, segundo tenho conhecimento os colegas, ou pelo menos alguns colegas que receberam as cartas de anulação de contrato, ficam em funções até 31 de Dezembro. Assim e se virmos bem, o Sr. Presidente não vai mandar mais ninguém passear durante a quadra natalicia, o que cai mal politicamente (parece-me a mim) e porque também esta nossa luta , poderá vir a perder "o gás" (o que não podemos deixar acontecer) estando por isso "eles á espera que arrefeça". Considerando o conteudo da informação prestada pela nossa colega, apenas posso dizer que não me espanta, quer o desejo de mais despedimentos, como o novo critério de selecção, dada a confusão que deram os casos das colegas que estão gravidas. No serviço onde trabalho ainda nada foi dito sobre esta nova selecção. Vamos ver!! Para mim isto só se resolve se todos os recibos fizessem greve, não de um dia, mas até serem integrados de uma forma justa. Só com os serviços todos parados ou quase é que o Mr. President, talvez caia em si e pense que afinal não tem o poder magnanimo de por e dispor sobre a vida de quem trabalha. E por favor não acabem com este blog. É que além de forum de discussão, este é muito importante para passar informação a muitos cidadãos interessados.

Anónimo disse...

Bem, não ouvi falar de tal levantamento aqui no serviço, o que significa uma de duas coisas: ou é global e vamos receber o pedido tarde, ou estão apenas a ponderar “limpar” essa divisão em concreto. Sinceramente espero que não me peçam dados sobre o meu cão, pois não gostaria de ver o nome dele metido nestas caldeiradas (“tem uma reputação a manter”, como gosta de me ir lembrando de vez em quando).

Continuo a achar que se devem rever os vencimentos e habilitações primeiro, só despedindo pessoal se tal não se revelar suficiente para equilibrar as contas. E se os despedimentos acabarem por ser um imperativo, dêem prioridade a assessores e ex-assessores, pois como são todos competentíssimos e de bons contactos não terão qualquer problema em arranjar teta noutra vaca.

Ah, já agora, alguém que me explique porque não é estabelecida uma regra que determine que os futuros assessores devam obrigatoriamente ser recrutados dentro dos quadros da autarquia (seja por questões economicistas, seja por questões de justiça, ou só mesmo para os podermos responsabilizar disciplinarmente).

Anónimo disse...

Bem, para não fazer esperar ninguém já estou a preencher uma folha com os meus dados, que entregarei quando me for superiormente pedida. A parte do “Nome” e da “Idade” não me levantam grandes dúvidas – nem as outras imediatamente seguintes, aliás – mas estou aqui apreensiva com o campo “Outros pontos que julguem convenientes focar”! É aqui que escrevo as minhas cunhas??!

Ze Cantoneiro disse...

Pois por isso é que o pessoal tem de se unir.

Senão o que vai suceder é o que sucedia com os Judeus na II guerra:

Uns ficavam felizes por ficar vivos mais uns tempos, mas depois de ajudar a envenenar e a enterrar os compatriotas, era vez deles. Iam todos. Mas era mais fácil para os NAZIS matar aos poucos, porque os outros, com medo, não se revoltavam, iam-se calando, vivendo na esperança temerária de que não lhes acontecesse o mesmo destino... até que chegava a vez deles.

E Notem: Isto é válido para os contratados que ficam na CML, bem como para o pessoal do quadro. A vez vai tocar a todos. Mesmo aos do Quadro da função pública. Por isso ou se levantam TODOS juntos para terem força, ou adeus - um beijo e queijo!

Anónimo disse...

CHAMO A ATENÇÃO PARA O SENHOR OU SENHORA DO QUADRO QUE OS FUNCIONÁRIOS DO DIA QUE RECEBEM SUBSIDIO DE TURNO TÊM DIREITO A ELE. RECEBEMOS PORQUE TRABALHAMOS ROTATIVAMENTE EM 2 TURNOS DAS 8-14 E 14-20. PORTANTO NÃO SE ENTENDE EM QUE ESCANDALIZAMOS OS QUADROS.

Anónimo disse...

Hum… judeus… nazis… lolololol… morre tudo… agora que penso nisso, aqui há umas semanas correu pelos corredores algo do género:

1 – Logo após a entrada do novo executivo terá sido solicitado a cada dirigente que, em conjunto com restantes as chefias, indicasse contratados que não fossem essenciais aos serviços, pretendendo-se atingir um valor na ordem dos 30% dos vínculos precários em cada orgânica. Com base da informação prestada o DGRH remeteu posteriormente as cartas de denúncia que já todos conhecem.

2 – Após algumas semanas os dirigentes terão recebido nova comunicação do DGRH (provavelmente não escrita) referindo que não haviam sido atingidos os objectivos desejados e que se tornava necessário denunciar mais alguns vínculos precários (desconhece-se a percentagem exacta exigida, sendo certo que não era muito elevada), tendo sido feita, em sequência, nova listagem. Desta segunda ronda não terão ainda seguido as cartas de denúncia - nem se sabe quando seguirão pois entretanto está tudo à espera para ver o que resulta das “verificações caso a caso” alegadamente em curso.

Se por aqui alguém tem mais e melhor informação sobre esta segunda listagem... que cante agora, pois é do interesse de todos.

Anónimo disse...

BOA Zé Cantoneiro! Amanhã há reunião publica nos paços do concelho e eu quero ver quantos vaõ levantar o cú da secretária para irem para lá protestar. protestos ouços todos os dias menos onde é preciso. E não é que possa chegar ao pessoal dos quadros. já chegou com a o quadro da mobilidade

Trik disse...

Chamo a atenção ao q disse o sr q escreveu o 3º comentário. Fala-se em reduzir 30% dos recibos verdes e quanto ás pessoas do quadro que ganham mais do que lhes é devido? Disso ninguem quer falar não é?

Anónimo disse...

Certo! Alguns, poucos do quadro ganham aquilo que a lei não permite (eu diria que ganham aquilo que seria justo todos receberem)

É verdade. É uma realidade. Mas não entremos por aí agora. É entrar na divisionismo dos trabalhadores: os do quadro contra os prestadores. Esta estratégia (já aqui li) faz lembrar aquele que vai levar um tiro: Em vez de se revoltar por ter de levar um tiro, revolta-se por lho darem a ele e não ao colega do lado que merece mais.

A luta é que ninguém merece.

Anónimo disse...

Ganham mais, ganham menos… ninguém se entende assim. Proponho o seguinte:

1º - O Sindicato oferece um exemplar da tabela de vencimentos em vigor para a função pública onde constem os índices salariais por grupos de pessoal, categorias e escalões.

2º - O DGRH, no final do ano e quando estiver a proceder à renovação dos vínculos contratuais precários, verifica as habilitações académicas de cada um e equipara-os à categoria correspondente no quadro, devendo contabilizar os anos de serviço por forma a que até ao nível dos escalões a coisa fique certa. Ao valor apurado será somado o relativo aos subsídios atribuídos ao pessoal do quadro;

3º - Tal como aconteceu aquando das adendas contratuais que uniformizaram os prazos de vigência no primeiro semestre de 2007, o DGRH solicitará que seja assinada nova adenda pelo prestador em como aceita o vencimento proposto. Havendo aceitação, o vínculo é renovado; não havendo aceitação, promove-se a denúncia do contrato (o contrato de avença - modalidade de contrato de prestação de serviços mais adoptada na C.M.L. - pode ser feito cessar a todo o tempo por qualquer das partes, com aviso prévio de 60 dias – D.L. 299/85, de 29 de Julho);

Os contratados ficam contentes, os do quadro ficam contentes… e o executivo ficará contente.

Anónimo disse...

Toda a gente sabe que no DIA há pessoas que recebem subsídio de turno e fazem sempre o mesmo horário. Basta perguntar a quem lá trabalha ou conferir as entradas e saídas. E mais não digo...

Anónimo disse...

então e em 15 comentários ninguém falou nos borgas dos acessores que neste mandato passaram a encher os bolsos com 4000 euros + alcavalas? em todos os partidos? haverá acessores sem curso universitário a ganhar 4x mais o que ganha um técnico suprior de 2ª? ah pois há o meu dedo mindinho diz-me que sim
esta gente não brinca em serviço, hão-de ir vos apertando a goela às fatias, para os que restam se irem sempre acobardando, quem não se mexer agora que se cale depois quando lhe tocar a vez!

Anónimo disse...

Só para dizer que o D.L. já não é o 299/85 como se disse em cima. É o DL 409/91, com as alterações sucessivas...

Anónimo disse...

Nunca me lembro do raio desse diploma, ahahah. Mas a redacção do 409/91, na parte que importa, é exactamente igual à do 299/85, ou seja: “O contrato de avença, mesmo quando celebrado com cláusula de prorrogação tácita, pode ser feito cessar a todo o tempo, por qualquer das partes, com aviso prévio de 60 dias”. O relevante é que se saiba que há forma de “convidar” os avençados com vencimentos chorudos a assinar adendas onde se prevejam reduções salariais para níveis mais justos.

Anónimo disse...

Opá, nada de andar a fazer rectificações em DL’s quando o conteúdo é o mesmo!! Uma tipa aqui a esforçar-se para parecer engenheira ou arquitecta, pa não toparem que sou jurista avençada ahahah… malandragem, hein??!

Anónimo disse...

E é “assessores”, não “acessores”. Se não sabemos sequer escrever o nome dos tipos, como é que conseguiremos entalá-los??! O próximo que eu apanhar aqui a escrever a palavra incorrectamente vai directo ao gabinete do Director Municipal dos Recursos Humanos explicar a bacorada (nada de errar propositadamente para poderem ir bater no senhor, ouviram??)

Anónimo disse...

Tudo isto é muito interessante mas parece que se estão a esquecer do que o post denuncia. O Costa anda mesmo a esfregar as mãos de contente com a postura de bem bom da malta. Basta ler este rol de comentários para perceber que o medo abrandou.

João disse...

Li bem no comentário do colega indignado ou acaba de assumir que recebe subsídio de turno para fazer 6 horas?
Maravilha. Este blog está realmente a pôr a nu coisas muito interessantes...

Anónimo disse...

No meu serviço - DMAE, também foram pedidas estas informações.

Não percebo o medo de se identificarem. Digam os nomes dos vossos dirigentes, dos vossos serviços. Só assim pudemos saber para onde apontar. E lembrem-se, quem está de má fé são eles e não os trabalhadores que lutam pelos seus interesses.

Mas, para informar a colega, quase ao mesmo tempo que soube das perguntas "indiscretas", fui comunicado que, afinal, a informação não seguia, por enquanto.

Acho que alguém lhes disse: "Eh pá, vê lá que se calhar não são estes os critérios que devemos utilizar" ou então, simplesmente ganharam juízo (hummm, não me parece).
Seja o que for, coisa boa não andam a tramar.

Mas cá estaremos todos JUNTOS (espero) para lutar.

Ze Cantoneiro disse...

Medo abrandou? É o que diz num post em cima.

Se acha assim repare na frase final do artigo que está a comentar...

Anónimo disse...

E os critérios do Costa para os despedimentos? Já alguém descobriu quais foram?

Anónimo disse...

Parabéns à forma frontal, objectiva e assertiva com que os avençados da Divisão de Saúde Higiene e Segurança têm consistentemente desafiado, em sessões públicas de câmara e da assembleia municipal, a direcção e a vereacção de RH bem como o próprio presidente a esclarecer não só os critérios subjacentes às rescisões de avenças, bem como a própria estratégia definida para a divisão em questão.

É de salientar as várias incoerências já identificadas e colocadas a nu nestas sessões públicas.

É de lamentar a lentidão com que os processos de "re-análise" se desenrolam Já passaram 2 meses desde as cartas de rescisão e 5 semanas desde a promessa de revisão da situação dos 3 psicólogos por parte do presidente. Faltam apenas 3 semanas para a quadra natalícia e a conhecida apatia deste período, e estas pessoas continuam na expectativa sobre o que será decidido sobre elas a partir de Janeiro.

A informação a dar aos pacientes desta divisão sobre o futuro dos serviços pós 31 de Dezembro é ainda uma incógnita ...

Será que nem a própria vereação de Recursos Humanos é capaz de valorizar os individuos, que para além de recursos são essencialmente humanos !

Anónimo disse...

Qual reanálise, qual quê? Alguém acredita nisso?

Vá-la que alguns dos poucos que tem coragem para se queixar sejam integrados. Mas que não tenham dúvidas: É para cortar cabeças para diminuir despesa. Não é quest~
ao de justiça.

Ele há cada crédulo!

Anónimo disse...

O Costa vai-se demitir se não fizerem aquilo que ele quer.

Era bom !

Era bastante irónico ir PARA A RUA antes dos precários que demitiu. E o Sá fernandes e o BE podia ir com ele

Anónimo disse...

GREVE!

ENTÃO QUANTOS PRECÁRIOS ESTÃO A FAZER GREVE ?

Em solidariedade disse...

Todos! Os precários estão todos em greve, mesmo aqueles que no dia de hoje passem pelos serviços! Mas não é pelos mesmos motivos que o resto da função pública, note-se! É pelo nosso Presidente, em forma de solidariedade, para que o PSD viabilize o tal empréstimo e ele não tenha que se demitir, lolol. Aliás, todos os contratados que entraram no tempo dos anteriores mandatos laranjas já fizeram saber junto das suas cunhas… aaammm, digo amigos, que não é justo deixarem o homem sem os milhões que ao seu executivo tanta falta fazem … aaaammm, digo à autarquia… pois…

coisa simples disse...

Exacto! Eu também não estou cá! Quero dizer… estou cá mas estou de greve! De greve… pois, não estou a fazer nada. Aliás, estou na net, a escrever no blog! A escrever no blog para dizer que não estou cá! Ou melhor, que estou cá mas que estou de greve! Não fazendo nada, quero dizer. A não ser escrever no blog, claro. Hum… isto tá complicado… o que a malta faz para ajudar o Presidente, irra…

lixado da vida disse...

Que diabo… mas não há alguém aí no DGRH que esteja sem fazer nada e que possa dar um pulinho ao gabinete do Dr. Luís Centeno Fragoso e pedir-lhe para que ele lance aqui duas ou três novidades?? Ainda não tivemos conhecimento oficial da lista de vencimentos de contratados entre os 400 e os 500 contos! Ou da malta que não tem habilitações ou experiência para estar a receber o que recebe! São só ideias, claro… ele pode querer escrever sobre outras coisas

um dos 127 disse...

O post do “em solidariedade” sensibilizou-me! Já arranjei um porquinho mealheiro para nele botar umas moedas e estou agora mesmo a imprimir folhetos para distribuir aqui nos serviços, a fim de recolher fundos para o caso de o PSD viabilizar um empréstimo de valor inferior a 500.000.000,00. Se, por exemplo, em Assembleia apenas se autorizar um empréstimo de 30.000.000,00, a malta parte o porquinho e cobre o resto. Vou para a rua em Dezembro, mas não deixo de contribuir na medida das minhas possibilidades

Verdinho mas Atento disse...

COMO COLEGA DO QUADRO, TENHO QUE RECONHECER E DE ,TAMBÉM, CHAMAR A ATENÇÃO PARA O SENHOR OU SENHORA QUE DEFENDE QUE OS COLEGAS DO D.I.A., DEVEM TER DIREITO AO SUBSÍDIO DE TURNO. pASSO A CITAR: "PORQUE TRABALHAMOS ROTATIVAMENTE EM 2 TURNOS DAS 8-14 E 14-20". A SÉRIO??

ENTÃO E OS COLEGAS DA DARPAL? TAMBÉM FAZEM ATENDIMENTO COM TURNOS E CADA TURNO TEM 7 HORAS E NÃO 6 HORAS COMO FAZ O D.I.A.

OS COLEGAS DA DARPAL TRABALHAM MAIS UMA HORA (SETE HORAS) DO QUE OS COLEGAS DO D.I.A. (6 HORAS) E O QUE É QUE FIZERAM AOS COLEGAS DA DARPAL? TIRARAM O SUBSÍDIO DE TURNO DESDE JANEIRO DE 2007 A TODOS OS RECIBOS VERDES. MAIS! ESTES COLEGAS DESDOBRAM-SE EM MAIS TURNOS, FUNÇÕES E TAREFAS. QUEREM SABER DOS TURNOS DA DARPAL? ENTÃO REGISTEM: DAS 8H ÀS 15H; DAS 10H ÀS 17H; DAS 11H ÀS 18H E DAS 13H ÀS 20H. AGORA COMPAREM COM OS TURNOS DO D.I.A. (DAS 8H AS 14H E DAS 14H AS 20H". TADINHOS!

PORTANTO, PARA QUEM CRITICA OS COLEGAS QUE FAZEM TURNOS E PARA OS COLEGAS DO D.I.A. QUE ACHAM JUSTO RECEBEREM O SUBSÍDIO DE TURNO (COM 6 HORAS DE TRABALHO), DEVIAM ERA ESTAREM AMBOS CALADOS. PORQUE SE HÁ INJUSTIÇA SOBRE OS SUBSÍDIOS DE TURNO, ELA RECAI SOBRE OS COLEGAS DA DARPAL E NÃO SOBRE OS COLEGAS DO D.I.A.

VOLTO A REPETIR:

- OS COLEGAS DA DARPAL TRABALHAM
7H POR DIA;

- FAZEM TURNOS DAS 8H ÀS 15H; DAS 10H ÀS 17H; DAS 11H ÀS 18H E DAS 13H ÀS 20H;

- DESDE JANEIRO DE 2007 QUE O SUBSÍDIO LHES FOI RETIRADO